sábado, 5 de março de 2016

Mas, afinal, cadê o japonês? Só faltou ele no espetáculo.



No encontro com os policiais que tinham a missão de conduzi-lo para o Aeroporto de Congonhas, para ser ouvido pelos seus inquisidores, Lula teria perguntado aos agentes e delegados da Polícia Federal sobre o tal japonês. O japonês é uma da figuras emblemáticas das operações da Polícia Federal relacionadas à Lava Jato. Sempre que fica configurada uma condução coercitiva, eis que a figura do japonês está sempre presente. No caso de condução de Lula, ele não apareceu. Creio ter sido esta a única "falha" nessa engrenagem pirotécnica montada em torno da condução do ex-presidente, levado forçosamente a depor, embora se dispusesse a fazê-lo se fosse apenas convocado. 

A figura do japonês tornou-se tão emblemática que virou um dos bonecos mais festejados entre os famosos bonecos do carnaval de Olinda, aqui em Pernambuco. O que se comenta nas coxias é que o tal japonês possui uma encrenca administrativa interna na Polícia Federal, o que o impediu de participar desse espetáculo midiático que se constituiu a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário