sábado, 26 de março de 2016

Pedro Correia abre o bico em delação premiada




Voltou à cena política uma polêmica em torno da delação premiada do ex-parlamentar e médico Pedro Correia, oriundo de uma família tradicional do Estado, rico de berço, mas enredado em escândalos de malversação de recursos públicos. Ator político de alta capilaridade nessas engrenagens, sua delação premiada é temida por políticos de todas as matizes ideológicas, além de outra autoridades públicas, vinculadas à órgãos que, na realidade, deveriam fiscalizar o bom uso das verbas públicas. 

Parece existir, ainda, a necessária formalização dessa sua delação premiada, mas, alguns órgãos de imprensa, como sempre, tiveram acesso ao possível teor de suas declarações. Pedro sabe de muita coisa e, se, de fato, resolver abrir o bico, pode abalar com os alicerces já bastante frágeis de nossa república. O problema hoje tem sido esse "relativismo" do judiciário, numa busca incessante de atingir determinados alvos, ignorando outros. 

O que consideramos muito positivo nessas declarações do senhor Pedro Correia é que ele resolveu entregar o jogo, envolvendo, segundo dizem, figurões da república, como o senador Aécio Neves(PSDB) e o ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, também tucano. Ao se considerar como procedente o que já foi divulgado, uma irmã do senador era uma das operadores do esquema de irregularidades. Confirma-se, também, a informação que todos já sabiam, que a emenda da reeleição foi comprada por FHC, financiada por um banco conhecido. Eu ainda fico curioso em saber quem arranja aqueles aventais para encobrir as algemas que ele usa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário