quarta-feira, 29 de junho de 2016

Editorial: Jair Bolsonaro. E este cara ainda está lá?






Já havíamos antecipado essa possibilidade aqui pelo blog. Fortalece-se, sobretudo entre os mais jovens, um movimento muito forte em defesa da democracia no Brasil. O caboclo não precisa ser petista - e muito menos dilmista - para se engajar nesse movimento, que tem como bandeira, a defesa da democracia, aliado a outros valores, num movimento típico de sociedades que já atingiram um certo estágio de maturidade política, como observou outro dia o blogueiro Luis Nassif. Notem que essas manifestações anti-golpe ocorrem em diversos espaços sociais e estão longe de serem ensaiadas por uma trupe petista ressentida, embora que, apesar do bombardeio, o PT ainda seja o partido mais atrativo para os jovens. Ontem, aqui no Recife, durante a inauguração de um busto em homenagem ao padre Henrique, assassinado durante a ditadura militar, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio(PSB) e o Secretário de Cultura do Estado, Marcelino Granja (PCdoB), foram ovacionados com gritos de "golpistas!", "golpistas!". 

Tenho a impressão que os gritos foram direcionados ao prefeito e não ao secretário Marcelino Granja, que foi atingido por tabela  ou vítima de outros questionamentos, como as recentes polêmicas provocados pelas denúncias do cantor André Rio, ainda muito recentes. Afinal, Marcelino pertence a um partido político que, no cenário federal, esteve na linha de frente na defesa do mandato da presidente Dilma Rousseff. De qualquer forma, tanto Marcelino Granja quanto Luciano Siqueira, atual vice prefeito do Recife, que se cuidem e escolham bem suas companhias. Comenta-se que o senhor Marcelino Granja teria perdido a calma durante o evento e precisou ser contido. Quanto a Luciano Siqueira, muito dificilmente ele será mantido como candidato a vice no projeto de reeleição do prefeito Geraldo Júlio. A tropa de choque golpista do Estado já anunciou que não suporta a sua presença. 

Em meio a esse terremoto de notícias ruins, envolvendo o lodaçal de corrupção na máquina pública, ontem tivemos uma notícia boa, o anúncio da abertura, pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, de um processo disciplinar contra o Deputado Federal Jair Bolsonaro(PSC-RJ), por apologia à tortura, em razão do seu pronunciamento durante a votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, onde, ao anunciar o seu voto, proclamou a triste fala: "Pela memória do coronel Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff". Carlos Alberto Brilhante Ustra foi uma figura emblemática ligada à tortura durante o regime militar instaurado no país com o golpe civil-militar de 1964. Ele, naturalmente, negava essas acusações, mas várias pessoas ouvidas durante os trabalhos da Comissão da Verdade Nacional confirmaram que foram torturadas por ele em pessoa, inclusive a historiadora da Fundação Getúlio Vargas, Dulce Pandolfi.

O STF também abriu um outro processo contra o deputado, desta vez por incitação ao estupro e injúria, motivado por mais uma de suas declarações estapafúrdias, desta vez dirigidas à Deputada Federal Maria do Rosário, do PT-RS, afirmando que "não a estupraria porque ela não merecia". É essa escória política que está por trás das urdiduras golpistas que afastaram a presidente Dilma Rousseff e nos jogaram nesse impasse institucional bastante delicado, porque, neste momento, é muito difícil baixar as armas e negociar, por exemplo, um pacto pela defesa da democracia, aqui inclusa a nossa vertente frágil de democracia representativa, com a convocação de novas eleições. Ainda ontem publicamos aqui um artigo sobre o projeto Escola Sem Partido, onde estão ali as "medidas" - não me entendam mal - do ator pornô Alexandre Frota para a educação brasileira. Cópia do documento de Frota foi deixado na mesa do Ministro da Educação, que já sinaliza com a desideologização do debate da Base Nacional Curricular.Juntem as "peças" e vejam até que ponto nos chegamos.

O PMDB tornou-se um partido sem nenhuma credibilidade política, depois que os seus parlamentares foram flagrados em operações de malversação de recursos públicos. Claro que isso não pode ser generalizado, mas é um fato que a sua cúpula dirigente está quase toda enredada nessas denúncias. Mas, o partido tem uma longa história e, durante o período do regime militar - quando exercia a oposição consentida - e, logo depois, no processo de redemocratização, é creditado ao partido um papel importante na construção do nosso desenho institucional. Já comentamos isso aqui pelo blog, inclusive lembrando a composição do partido em épocas passadas aqui na província pernambucana, onde havia quadros que lutaram pela redemocratização do país e saíram "limpos" da política. No plano nacional, das terras  ali do Rio Grande do Sul,havia um senador que marcou época na Câmara Alta, o senador Pedro Simon. Certa vez, creio que em razão de denúncias de conduta irregular de um gestor uma estatal, ele disse uma frase que se tornou emblemática: E este cara ainda está lá? O mesmo questionamento vale para o Deputado Jair Bolsonaro. 

P.S.: Do Realpolitik: No contexto de fragilidade institucional que estamos vivendo, não seria surpresa o fato de encontrarmos nas redes sociais uma "legião de fans" desse sujeito, alguns sugerindo sua candidatura presidencial nas eleições de 2018. Ele será cassado. Até ele mesmo já chegou a admitir isso. Menos um. Ilustra esse editorial uma charge do ilustrador e chargista Quinho Ravelli. Na nossa opinião e de outros tantos internautas, foi quem melhor traduziu a conduta deste senhor. A charge foi retirada temporariamente da rede Facebook, em razão dos ataques dos bolsominions, conforme explica o próprio autor da charge, em sua timiline:




A cegueira da língua


Esta charge está sendo postada mais uma vez, pois o Facebook a retirou temporariamente do ar por causa de um ataque massivo de bolsominions pertencentes a uma comunidade pró-Bolsonaro que, pelo jeito, se sentiram pessoalmente "ofendidos" com o conteúdo.
A charge, somente depois de algumas horas, já contava com mais de 90 compartilhamentos, chegava às 450 curtidas e mais de 25 mil visualizações.



Felizmente, o ataque não surtiu o efeito esperado e já fui comunicado que a charge retornará a esta página em breve, dentro de algumas horas. Mas não permitirei essa lacuna de tempo, em respeito aos seguidores que curtiram, comentaram e compartilharam. 



E se denunciarem mais uma vez, postarei em looping eterno. 

O que me causa espanto é que a grande maioria dos denunciantes é composta por adolescentes imaturos, sem leitura suficiente (escrevem e interpretam mal, cometem erros grosseiros de ortografia e concordância) e não ainda sabem argumentar e lidar com a diversidade de opiniões. A maioria da molecada usa o discurso repetido, ora postando um meme (alguns até engraçados), ora utilizando agressões verbais. Alternam com gritos contra a esquerda, o famoso "Bolsomito" entre outros frases-mico do tipo. Bloqueei a postagem de imagens para tentar evocar alguma argumentação própria da parte deles, mas foi em vão - não souberam o que dizer, a não ser escrever xingamentos ou palavras de ordem. 


É bem preocupante essa postura rasteira de uma juventude intolerante e claramente tendenciosa à escrotidão do fascismo, que afina suas ideias com o pensamento conservador e autoritário. 



As perspectivas não são nada boas.



P.S.: Do Realpolitik: Como já havíamos antecipado para vocês, sempre que leio algo sobre este cidadão que atende pelo nome de Jair Bolsonaro, fico surpreso com o número de "admiradores" deste deputado, inclusive em Pernambuco, onde há uma direita bastante alinhada com o seu "pensamento". Isso deve ser típico desses momentos obscurantistas que estamos vivendo, onde setores sociais que apoiaram essas urdiduras golpistas fazem até questão de mostrar a cara. Publicada num dos grupos da rede social Facebook, nossa postagem recebeu uma dura - e até deselegante - resposta de uma "Direita Pernambuco", que publico aqui para vocês, movido pela absoluta convicção de que as pessoas tem todo o direito de discordarem de nossas afirmações.




Resposta ao Membro da Secretaria de Educação Jose Luiz Silva, que fez esse post no Grupo do Janga/Paulista e em sua página.

Compartilhem!

Cientista político.


Suas palavras de apoio são grotescas e sem cabimento, assim, como as decisões do STF.


Post altamente esclarecedor de fato, de que a esquerda é suja e corrupta. Um ex-aluno da UFPE, no qual está abandonada as moscas e teias de aranha, um membro da educação docente arcaico e que deveria ser o maior transmissor de informações verdadeiras sem partidárias aos seus ouvintes. A sua explanação acima, afirma e indecência da moralidade e o pior que compactua com os políticos que naufragaram o nosso País. Sua atitude típica de militante esquerdista é deplorável e humilhante, por isso que as Universidades, estão da forma que estão, por isso, que o formando em tempos de hoje, não conseguem enviar um e-mail aos seus superiores, não sabem portar-se aos companheiros de trabalho e a sociedade.

Membros da educação como o senhor, envergonham a classe. O senhor tratar o STF, aparelhado, cujos foram indicados pelos que mais traíram a Pátria, saquearam os cofres públicos, roubaram dos aposentados e o senhor ainda os apoia, continue assim e sirva de esgoto para os que defende e quando jovens patriotas se erguerem e mostrarem que a verdade não será mais sufocada e que nosso País, não servirá ao socialismo/comunista, que apenas humilhou cidadãos e que nossa bandeira jamais será vermelha, que se cumpra a sentença, que sejam julgados, humilhados e condenados pela sociedade, por terem sido cúmplices dos ladrões do nosso País. 



Coerente com os meus princípios e convicções democráticas, nunca fujo ao debate limpo das ideias. Escrevi um longo texto como resposta ao representante da Direita Pernambuco, mas, depois de ler essa reportagem do Diário do Centro do Mundo, penso ser desnecessário qualquer "argumento" que possa alertá-los sobre o infeliz caminho que eles estão trilhando. Infelizmente. Como afirma o Quinho Ravelli, em seu parágrafo final, É bem preocupante essa postura rasteira de uma juventude intolerante e claramente tendenciosa à escrotidão do fascismo, que afina suas ideias com o pensamento conservador e autoritário. 

Mulher é agredida com socos por simpatizante de Bolsonaro em Brasília

Postado em 2 de julho de 2016 às 11:20 pm 

Na madrugada da última terça-feira (28/6), a estudante e ativista Mayra de Souza, 27 anos, militante do movimento social Levante Popular da Juventude, foi xingada e agredida com dois socos no rosto por um simpatizante do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC/RJ) identificado pelo movimento LGBT como Diego Oliveira da Rocha. O caso aconteceu em Samambaia. A jovem estava em um bar com quatro amigas, quando foi abordada pelo agressor.
Após repetidos pedidos para que ele se afastasse da mesa, o homem começou a gritar “Bolsonaro 2018” e, no momento em que Mayra foi fumar um cigarro, ele deu o primeiro soco, no olho esquerdo. A mulher caiu no chão e recebeu outro golpe, desta vez no queixo. Diego fugiu do local. Mayra registrou o caso na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) e as sequelas físicas ainda estão sendo analisadas.
Mayra contou que no próximo dia 6/7 fará uma consulta oftalmológica para avaliar os danos no seu olho. “Não estou enxergando direito e nem consigo abrí-lo.” A jovem disse que jamais imaginou que a selvageria dos discursos das redes sociais pudesse se tornar real. “Essa violência foi misógina, homofóbica e política. São esses ícones de ódio, como Bolsonaro, que incitam esses atos. Mas não vou me esconder.”



Nenhum comentário:

Postar um comentário