sábado, 5 de novembro de 2016

Editorial: As contas secretas de Henrique Alves no exterior


Uma agenda política cheia neste sábado. Há a polêmica em torno do adiamento do ENEM em algumas escolas ocupadas pelos estudantes, em todo o Brasil, em protestos contra a PEC 241 e a MP que prevê a reforma do ensino médio; as declarações do ex-presidente Lula em torno do resultado das últimas eleições, responsabilizando o eleitorado pelo resultado do pleito, nada favorável à esquerda; as manobras do ex-ministro Henrique Eduardo Alves(PMDB) para esconder dinheiro, provenientes de propinas, nos Emirados Árabes, de acordo com as denúncias apresentadas pela revista IstoÉ; os movimentos dentro das hostes socialistas em torno de uma candidatura própria ou o apoio ao governador Geraldo Alckmin(PSDB) para as eleições presidenciais de 2018; além, claro, de uma espécie de operação "segura, Tonca", no sentido de fazê-lo arrefecer suas críticas a setores do PSB local. 

Mas, como na vida é precisa fazer escolhas, optamos por comentar neste editoral as manobras perpetradas pelo ilustre representante do partido governista, Henrique Eduardo Alves(PMDB), no sentido de ocultar dinheiro sujo, recebido através de relações nada republicanas, possivelmente de uma dessas empreiteiras, em contas no exterior, de acordo com reportagem da revista IstoÉ desta semana, que está nas bancas de revistas. No quesito "dinheiro devolvido aos cofres públicos", posto que adquirido de forma irregular, até neste aspecto, a justiça tem sido mais exigente com atores políticos diretamente ligados ao Partido dos Trabalhadores, como é o caso de João Santana e Antonio Palocci. Quando tentaram pegar o dinheiro de Cunha, suas contas haviam sido zeradas. Desconheço se outras medidas foram tomadas. (...)

(Conteúdo exclusivo, liberado apenas para assinantes do blog)


Nenhum comentário:

Postar um comentário