terça-feira, 22 de novembro de 2016

Editorial: Clima tenso entre Sérgio Moro e os advogados do ex-presidente Lula.


Resultado de imagem para Sérgio Moro irritado

O clima esquentou entre os advogados de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o juiz Sérgio Moro, ontem, durante uma audiência em que foi ouvido o ex-senador Delcídio Amaral, testemunha de acusação contra Lula no âmbito da operação Lava Jato. Delcídio acusa Lula de conhecer as manobras engendradas por atores públicos e privados no sentido de desviarem recursos da estatal Petrobras, o que ele, Lula, nega. Durante sua fala, o Procurador da República, representando o MPF, teria formalizado perguntas que, consoante os advogados de Lula, fugiam aos autos em julgamento. Durante essas interpelações dos advogados do ex-presidente, o juiz Sérgio Moro foi se irritando, até que cortou o microfone de um deles, impedindo sua fala durante a audiência. O curioso é que o juiz, ao questionar os advogados de Lula pelas constantes "interrupções" usou o termo "inoportunismo", o que levou um deles a retrucar que poderia até ser inoportuno, mas era legal. 

Neste momento de absoluta insegurança jurídica que estamos vivendo no país, dificilmente o julgamento de alguns atores políticos - Lula talvez seja o caso mais emblemático - será conduzido dentro daquela isenção necessária. Este é o tipo de julgamento que já se sabe qual será o veredicto final. Assim como ocorreu com o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, cumpre-se um rito com o objetivo apenas de salvar as aparências e apresentar à opinião pública a versão de que tudo transcorreu dentro da normalidade jurídica e política. Vocês precisavam ter acompanhado a entrevista concedida pelo presidente Michel Temer, numa das últimas edições do Programa Roda Viva, da TV Cultura. Impressionante a sua suposta "isenção" ao informar sobre como chegou ao cargo de Presidente da República, depois do afastamento legal de uma presidente. O discurso dele dá a entender que ele chegou ao cargo em circunstâncias "absolutamente naturais e legais". 

(Conteúdo exclusivo, liberado apenas para os assinantes do blog) 




Nenhum comentário:

Postar um comentário