sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Editorial: Os bastidores da queda do ministro da Cultura.


Resultado de imagem para marcelo calero

Esta talvez fosse uma boa oportunidade para comentarmos sobre a escolha do Deputado Federal Roberto Freire(PPS) para assumir o Ministério da Cultura, em substituição a Marcelo Calero, que pediu demissão do cargo num encontro recente com o presidente Michel Temer(PMDB). Não sei se vocês conhecem este dado, mas o novo ministro é uma pessoa muito ativa nas redes sociais. Houve um tempo em que éramos mais ativos no microblog twitter e travávamos muitos embates com o novo ministro,sobretudo em relação às suas mudanças de rumos políticos. Eis aqui mais uma razão para entendermos que ele não deverá fazer uma boa gestão à frente daquela pasta.

Mas, o mais importante neste momento é entender as razões ocultas sobre o pedido de afastamento do ex-ministro Marcelo Calero. Nunca nutri muitas expectativas em torno de sua gestão, assim como, aliás, em relação ao Governo Temer como um todo. Uma pessoa que coloca o senador Romero Jucá como líder do seu governo não tem a menor possibilidade de dar certo. As razões oficiais para o pedido de demissão de Calero apontam para os cortes de verbas naquela pasta, o que estaria estrangulando alguns projetos importantes do órgão, o que não seria improvável. Nos bastidores, porém, sabe-se de um embate entre Marcelo Calero e o também ministro Geddel Vieira Lima em torno da construção de um espigão irregular na histórica cidade de Salvador, onde Geddel comprou um apartamento. Havia a pressão de Geddel no sentido de que Marcelo Calero intercedesse junto ao IPHAN no sentido de liberar a obra irregular.    

(Conteúdo exclusivo, liberado apenas para os assinantes do blog)

Nenhum comentário:

Postar um comentário