quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Editorial: SUS sim! PEC não!


Resultado de imagem para ministro da saúde vaiado


Felizmente, a sociedade brasileira, gradativamente, vai encontrando os mecanismos de enfrentamento deste golpe institucional ora em curso no país, que age com uma voracidade impressionante contra os direitos sociais, políticos e as garantias constitucionais do cidadão. Setores da sociedade parece ter se dado conta que algumas instituições estão completamente comprometidas ou de conluio com essas urdiduras, como setores importantes – talvez o mais importante – do judiciário, do Poder Legislativo e da chamada “grande" mídia. Não se espere dessas instituições algum esboço de resistência a este engendramento perverso, que atenta contra os princípios mais elementares, como o de o Estado prover o direito à educação e de assistência à saúde daquela população desassistida, que não pode pagar por uma plano de saúde. A Constituição Cidadã, promulgada em 1988, simplesmente, foi jogada na lata do lixo por essas forças que tomaram o poder no país. 

De Brasília,vem a notícia de que um juiz teria determinado que a Polícia Militar desocupasse alguns estabelecimentos escolares ocupados pelos alunos. Para tal cumprimento da determinação, fizesse uso da "força necessária", que inclui procedimentos de tortura psicológica conhecidos. Tal atitude está sendo denunciada pela blogosfera independente, por voluntários nas redes sociais. A grande mídia, como sempre, omissa às violações de direitos que se tornaram comuns no país. (...)

(Conteúdo exclusivo, liberado apenas para assinantes do blog)

Nenhum comentário:

Postar um comentário