segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Morte de Fidel Castro: Revolução Cubana em tópicos: Uma guerrilha na Sierra Maestra






José Luiz Gomes



Os 15 guerrilheiros que escaparam ao cerco imposto pelas forças leais ao ditador Fulgêncio Batista, entre eles, Fidel Castro, Raul Castro e Che Guevara, subiram as montanhas da Sierra Maestra para dar início a uma guerra de guerrilha que duraria pouco mais de 02 anos. A despeito das enormes dificuldades iniciais, os guerrilheiros liderados por Fidel encontrariam as condições necessárias para consolidar o projeto revolucionários na região. Um dos aspectos mais importantes foi o apoio dado pelos camponeses, que forneciam alimentos e até homens para se engajarem no movimento. De acordo com o cientista político Jorge Castañeda, que escreveu uma biografia sobre Ernesto Che Guevara, a região da Sierra Maestra era uma região onde se abrigavam velhos bandoleiros que haviam cumprido pena nas prisões cubanas. Alguns desses bandoleiros costumavam espalhar o terror  na região, daí se entender que os primeiros "justiçamentos" ou "acertos de contas" entre eles e a guerrilha - como costumava enfatizar Che - começaram ainda na Sierra Maestra. 

A guerra de guerrilha da Sierra Maestra revelaria grandes estrategistas militares entre os guerrilheiros, o que nos parece, a princípio, inusitado, uma vez que, a rigor, nenhum deles teria passado por treinamentos militares prolongados ou sistemáticos antes de subirem as serras. Sabia-se que Fidel tinha intimidades com armas e era um bom atirador. Mas, e Raul Castro? Che Guevara? Camilo Cienfuegos?O fato concreto é que eles demonstrariam um a destreza militar capaz de causar danos consideráveis às tropas enviadas à Sierra pelo ditador Fulgêncio Batista, que organizou várias incursões militares ao local. Fidel confiava a Guevara as missões mais importantes da guerrilha, até porque ele mesmo se oferecia para executá-las. Isolado naquelas montanhas frias, seus crônicos problemas de asma se agravavam, mas a resiliência, a tenacidade e o idealismo eram maiores. 

Superada as primeiras dificuldades, a guerrilha ampliou sua capilaridade política e social junto à população da região, desenvolvendo ações que, posteriormente, iriam ser a marca do governo revolucionário, como os programas de alfabetização da população adulta, os cuidados com a saúde e um incipiente programa de reforma agrária. Aliás, cumpre o registro de informar que uma das primeiras medidas tomadas por Fidel Castro depois do êxito da luta de guerrilha foi informar a um dos seus irmãos que começaria a reforma agrária cubana pelas terras da família. Todo esse trabalho social foi criando um elo forte na população local, que passou a simpatizar com aquele "experimento socialista". Se é isso que é socialismo, então nós somos socialistas.

Celia Sánchez era a grande interlocutora de Fidel Castro junto aos movimentos de guerrilha urbana que atuavam na capital. Aliás, Celia Sánchez foi uma das pessoas mais estratégicas em todo o processo, uma vez que recrutava voluntários e abastecia a guerrilha com alimentos, armas, aparelhos de comunicação e medicamentos. Com a fragilização das forças da ditadura, foram se intensificando os encontros entre Fidel Castro e líderes da guerrilha urbana. Fidel fazia acordos no sentido de costurar a liderança do movimento. Nesta rodada do jogo, naturalmente, começa a entrar no âmbito dessas negociações aspectos mais relacionados ao pragmatismo político, o que deixava o idealista Che Guevara bastante preocupado. Não foram poucas as conversas mantidas entre ambos logo após esses diálogos de Fidel com os representantes da guerrilha urbana. 

Convém frisar que, até então, Fidel Castro nunca se dissera comunista. Do grupo, quem assumia essa posição abertamente era Che Guevara e o irmão Raul Castro. Che, aliás, era um aplicado estudioso da economia socialista, estudando este assunto nos momentos em que a luta nas montanhas permitia. Como se sabe, embora com uma profunda sensibilidade social aos problemas enfrentados pela população cubana, a conversão de Fidel ao socialismo viria um pouco depois, quando não lhes restou outra alternativa diante das sanções aplicadas à ilha pela governo norte-americano, como o criminoso embargo econômico que durou décadas, estrangulando a economia do país caribenho. 

P.S.:Do Contexto Político: Convém informar aqui que, na realidade, os guerrilheiros teriam recebido treinamento militar, ainda no México, antes de embarcarem no iate Granma, de volta à ilha. Mesmo assim, teria sido um processo açodado, em meio à vigilância constante das órgãos de informação inteligência dos Estados Unidos.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário