domingo, 9 de julho de 2017

Drops político para reflexão: Os últimos dias de Michel Temer

 

 
"Segundo dizem, em conversas com os tucanos, Rodrigo Maia(DEM-RJ) já teria acenado que manteria a equipe econômica caso seja conduzido à Presidência da República, num eventual afastamento de Michel Temer. A fala do senador Tasso Jereissati(PSDB-CE), dirigente interino da legenda, aponta nitidamente para um rompimento com o Governo Temer. De acordo com artigo do professor Michel Zaidan, aqui publicano, toda essa manobra conta com o aval do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, cujo partido deverá ampliar sensivelmente sua participação no condomínio do futuro governo. Os sinais e os movimentos do Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, por sua vez, indicam que ele já não age como aquele leão de chácara do Planalto como outrora. Neste caso em particular, Botafogo -era assim que ele era tratado nas planilhas da Odebrecht - parece ser mesmo o grande termômetro político do Governo Temer. Sua decisão em acatar a proposição da oposição no sentido de que o pedido de investigação da Procuradoria-Geral da República seja apreciado em votação aberta, segundo alguns, pode ter significado o golpe de misericórdia nas esperanças do Planalto no sentido de estancar a sangria na Câmara dos Deputados. Reuniões se sucedem, a caneta continua funcionando, emendas estão sendo liberadas num ritmo alucinante, mas os ventos desfavoráveis ao Governo Temer também se avolumam. Política tem lá suas circunstâncias e a expectativa de poder passou a animar o deputado Rodrigo Maia desde o início. Manobrou em favor de Michel Temer o quanto pode, mas lembrou que é um presidente do Poder Legislativo muito bem-azeitado entre seus pares, que poderia conduzi-lo em defesa de seus projetos pessoais e dos novos aliados." 
 
(José Luiz Gomes, Cientista Político, em editorial publicado aqui no blog)

Nenhum comentário:

Postar um comentário